NOSSAS IDÉIAS E ATITUDES TÊM UM PAPEL: TRANSFORMAR A REALIDADE!

Create your own banner at mybannermaker.com!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

SÍNDROME DO CORAÇÃO PARTIDO. PARECE MAS NÃO É!


A imagem de um coração partido nos transmite a idéia de alguém que passa por intenso sofrimento por amor, que nos áureos tempos do romantismo frequentemente ilustrava uma jovem abandonada por seu amado ou até mesmo um amor platônico.

Batizada no Japão de Síndrome de Tako-tsubo, ou Síndrome de Armadilha para Polvo devido à semelhança da imagem vista no cateterismo à este instrumento para pesca do polvo, vem sendo chamada de Síndrome do Coração Partido por afetar mulheres após forte estresse físico ou emocional, como acidente de carro, morte de ente querido, separação etc.

São mulheres entre 60 a 70 anos que dão entrada nas emergências bastante abaladas apresentando dor semelhante ao infarto, porém menos intensa, com alteração eletrocardiográfica característica para infarto e enzimas cardíacas elevadas fechando diagnósticos de Infarto Agudo do Miocárdio, mas para surpresa de todos apresentam ao cateterismo, coronárias sem obstruções e falha na contração da ponta do coração, característica desta síndrome.

Teorias apontam para a causa desta patologia a descarga de adrenalina, ocasionada por estresse intenso, que faz com que uma parte do coração enfraqueça temporariamente ou fique enrijecida (cardiomiopatia), sendo um infarto que sempre se resolve espontaneamente, sem danos cardíacos e com raras repetições do quadro.

Mais uma evidência do malefício que o estresse pode nos causar e um alerta para todos aqueles que porventura estejam passando por um momento difícil, da necessidade de se buscar alternativas para o equilíbrio emocional.

Dr. Alexandre Drumond
Cardiologista
Coordenador Médico Projeto Doutores de Coração

Dúvidas sobre esse assunto? Deixe aqui seu comentário e buscaremos esclarecer.


Essas informações têm objetivos meramente informativo e educacional. Para fins de orientação procure o profissional adequado para o devido esclarecimento.


5 comentários:

Anônimo disse...

Meu nome é terezinha, há 13 anos perdi meu esposo.nestes anos todos sinto um vazio enorme no meu coração..é como disse a reportagem parece q ele (coração) ta sempre espremido..pequeno..quando meu marido morreu , qd eu saia na rua a sensação era q eu ia cairo dos lados..uma coisa q tb me impressiona é q o cheiro dele ainda está nas minha narinas..e qd vem o cheiro...meu coração..fica pequenino..me aperta o peito..e o choro vem..nesses anos nunca mais consegui amar ninguém??não seria muito tempo???eu ja não era p ter amenizado??será q estou com A SINDROME DO CORAÇÃO PARTIDO??..to cansada...

IDCOR - Instituto Doutores de Coração disse...

Tenho certeza de que esse não é o seu caso, Terezinha, pois essa síndrome vem acompanhada de dores semelhabtes ao infarto, porém menos intensas, logo após situações de grande estresse.
O que você tem é "saudade do ser amado", do companheiro, do amigo, do cúmplice...e para isso não existe o tempo.
Diminui a dor mas não as lembranças que geram saudades.
Ele se foi, para uma grande viagem e você aqui ficou para acabar de cumprir com o que lhe está destinado.
Enxugue suas lágrimas, acredite que você ainda pode sonhar e alcançar seus sonhos, que ainda é tempo de construir.
Não permita que sua tristeza lhe impeça de ver a beleza da vida e agradeça por ter tido a grande oportunidade de ter vivido anos felizes ao lado dessa pessoa tão especial.

Ana Porto
Gestora
IDCOR

Anônimo disse...

Boa tarde tenho 28 anos,em 2008aos 25anos sofri da sindrome de tako tsubo,essa comprovada por ecg,cateterismo entre outros exames.em semanas o ventriculo voltou ao normal.Minha duvida e a seguinte: tenho predisposição a outro evento semelhante? Porque fui acometida por essa sindrome nessa idade?posso ter uma vida normal sem riscos?

Anônimo disse...

tenho poblema de em sonia e depresão medo tenho 34anos sinto falta de ar fumigção no corpo que vair adomecendo corpo todo sinto dor no peito de mim deixa sem ar pra respira são os sistomas que sinto é muito ruim

Anônimo disse...

Embora esta síndrome seja mais frequente em mulheres, meu esposo, de 45 anos, parece apresentar os sintomas descritos. Passou por um grande estresse emocional e começou a relatar dores no peito, mais para o lado esquerdo. Dor frequente com a qual ele convive há alguns meses. Após o início dessa dor houve uma crise bastante séria. Em uma ocasião em que a situação causadora do estresse veio novamente à tona a dor tomou proporções quase insuportáveis e ele perdeu as forças, somente gritava e se contorcia no chão. Buscou um geriatra e todos os exames que fez até agora estão normais, inclusive um eletrocardiograma que fez recentemente. A dor permanece e atravessa o tórax, do meio do peito em direção ao lado esquerdo. Ele relata ser uma dor semelhante à dor muscular. Não buscamos ainda pesquisar sobre a Síndrome porque recentemente ouvi falar dela. Vamos buscar exames mais direcionados. Só receio que devido à sua raridade e por ser recente, passe despercebida nos exames. É possível que seja a Síndrome? Os sintomas permanecem, embora em menor intensidade (dor constante)? Quais exames poderão mostrar que ele está efetivamente acometido da Síndrome? Desde já agradeço quaisquer orientações que nos possam dar.L.A.N.